Dia 5.2 – Haight-Ashbury, Alamo Square, Mission e Castro

Após sairmos do Golden Gate Park, nossos próximos destinos seriam o famoso bairro dos hippies, Haight-Ashbury e depois a Alamo Square.

HAIGHT-ASHBURY

alamo-square-1
Cruzamento das ruas Haight e Ashbury

O bairro conta com alguns barzinhos mais alternativos, que estavam fechados. Algumas lojinhas, mas sinceramente esperávamos encontrar algo que nos fizesse sentir nos anos 60, e infelizmente isso não aconteceu.

Teve um momento em que passamos por uma roda de aproximadamente 6 pessoas que ficaram nos encarando. Foi uma das poucas vezes que sentimos medo na cidade. Até entramos em um bar para disfarçar.

Fora isso o bairro é bonitinho, com a clássica arquitetura de San Francisco.

ALAMO SQUARE

Na sequência, seguimos para a Alamo Square, ainda a pé. Do Golden Gate Park até a famosa praça são cerca de 11 quadras.

Mas antes de chegar, paramos para almoçar pois o cansaço já estava chegando. Ainda perdemos muito tempo com a indecisão sobre onde almoçar.

Até que decidimos ficar na Seniore’s Pizza que fica na Divisadero St. Comemos uma massa simples, que estava muito boa, e uma salada de acompanhamento. Mas o melhor mesmo era um pão que veio de bônus.

Nosso almoço :-)
Nosso almoço 🙂

Dali, seguimos a pé para a Alamo Square, que fica numa lomba meio íngreme para subir e que nos deixou bem cansados.

A região é realmente muito bonita e muitas pessoas se reúnem ali para relaxar, conversar e até mesmo fazer picnics.

Mas eu acho que o mais bonito fica ao redor da praça: as casas e apartamentos. Você com certeza já viu esse conjunto de casas em algum lugar.

Alamo Square
Alamo Square

Tem até um seriadinho de comédia que utiliza essa imagem e se faz passar aqui. Essas casinhas são chamadas de Painted Ladies e representam bem as casas vitorianas da cidade. Imagina quanto custa um imóvel desses? Os americanos realmente sabem valorizar suas coisas e fazer turismo com isso.

Bom, continuando, os próximos destinos seriam mais distantes, os bairros Mission e Castro. Subimos uma quadra, até a Fillmore St para pegar o ônibus 22.

Com essa linha não tem erro. Ele vai reto até a 16th St, uma das principais ruas do bairro Mission.

Outro detalhe interessante é que as paradas de ônibus tem um contador regressivo que mostra quanto tempo falta para o próximo ônibus chegar. Uma maravilha.

MISSION

Cruzamento das ruas Valencia e 16th
Cruzamento das ruas Valencia e 16th

Ainda dentro do ônibus, ele dobra na 16th St e segue reto. Descemos na Valencia St. Outra rua importante do bairro.

Caminhamos um pouco, mas nesse ponto do passeio, já estávamos exaustos, devido a tudo que já havíamos caminhado e não exploramos tudo o que o bairro pode oferecer.

Mission é um bairro bem latino e descolado, onde há o famoso beco Balmy Alley (entre as ruas Harrison e Folson) famoso pelos seus grafites. O bacana é caminhar com calma observando tudo.

Nós acabamos não fazendo isso, passamos pelo bairro brevemente, vendo basicamente a rua Valencia e a igreja Mission Dolores.

Certamente Mission é um local que pretendemos explorar com mais cuidado da próxima vez que formos a San Francisco.

De lá então resolvemos seguir a pé para Castro.

No caminho, um vivente me parou para conversar pois o moletom que eu usava chamou atenção dele. Era de um time da NBA, San Antonio Spurs (até então era o atual campeão da liga), que comprei em Las Vegas.

Me perguntou o que fazíamos ali, achando que éramos do Texas. Até que falamos que éramos brasileiros e o rapaz ficou todo feliz. Ficamos alguns minutos ali conversando sobre o Brasil e sobre NBA. Aliás foi uma das maiores conversas que já tive com alguém sobre NBA. No Brasil quase ninguém gosta, é só futebol.

CASTRO

Bairro Castro
Bairro Castro

Até que chegamos no bairro Castro. Você percebe que chegou nele quando começa a ver bandeiras nos postes e nas casas com as cores do arco-íris.

O chão e o asfalto também também tem essa característica. Isso porque Castro é um dos bairros LGBT mais famosos do mundo. O bairro tem toda uma história de luta dos homossexuais pelos seus direitos, e por isso hoje serve como um ponto de encontro.

Embora esse bairro tenha muitas opções interessantes para conhecer e até mesmo para comer, também fizemos uma passagem rápida. Apenas caminhamos, vendo diversos bares descolados, lojinhas interessantes, o Castro Theater (que é um cinema), mas sem entrar em nenhum lugar.

Partimos para a estação de metrô mais próxima, no cruzamento da própria Castro St com a Market St, com destino ao nosso apartamento.

METRÔ

A bela esperando o metrô.
A bela esperando o metrô.

Como havíamos comprado os tickets do ônibus há menos de duas horas, pudemos utilizar esses mesmos tickets para entrar no metrô. Ou seja, não pagamos nada.

Guarde seus tickets.

Pegamos uma linha qualquer, pois todas que passam aqui param na Powell Station. Dentro do metrô vimos um rapaz com bicicleta e outro com um cachorrinho. Sensacional essa liberdade que eles têm.

Descemos na nossa estação (Market Street), perto de casa.

Descansamos e algumas horas depois saímos para comer algo perto de casa.

JANTA

Entramos na David’s Delicatessen, que fica na Geary St, uma acima da O’Farrell, e não demos sorte com nossos pedidos. Fizemos a nossa pior refeição de toda a viagem.

Queríamos comer um sanduíche, ou algo parecido, mas o que recebemos foi um pão com pastrami. Só isso. E bota pastrami nesse pão, sendo que a Virgínia não podia comer carne crua devido à gravidez.

Acho que não entendi bem o cardápio deles, pois não foi isso que li quando fiz o pedido.

Para tentar tirar esse gosto ruim e até matar a fome, a Virgínia pediu uma sopa para complementar. O que recebemos?

Um negócio que tinha água e massa dentro. Ou seja, era uma sopa muito simples e sem gosto.

Não vou dizer que não recomendo porque sei que a culpa foi nossa e fizemos os pedidos errados. Deve haver outras coisas boas no lugar. Mas prestem atenção no que irão pedir se resolverem visitar esse lugar.

Depois disso ainda comprei os ingressos para o jogo da NBA que veríamos em Los Angeles. Explicarei mais adiante como comprar esses ingressos. E então, finalmente… cama.

Nos vemos no próximo dia. Qualquer dúvida sobre estes lugares, deixe seu comentário.